quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Estágio





Deus me surpreendeu e preparou que iniciei neste mês o estágio dos meus sonhos. Estou muito feliz pois é um Núcleo de Apoio Jurídico. Oferecemos atendimento jurídico àqueles que possuem renda econômica baixa. É uma satisfação imensa poder ajudar o próximo. Não defini ainda a área que quero atuar quando formar, mas desde o início do curso sempre tive o desejo de poder ajudar pessoas menos favorecidas financeiramente e também aos que não tem muito conhecimento de seus direitos. Defensoria pública parece ser a mais relacionada a isso. Na Justiça as pessoas são educadas, o ambiente é tranquilo e sinto paz. Minha supervisora me ensina muito e isso contribui para minha formação. 

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Faz bem ao coração


Nesses últimos dias a tecnologia entrou de uma forma intensa no cotidiano de grande parte das pessoas. É boa até quando se impõe o limite. Muitas crianças de hoje não conhecem muito bem aquela vida boa de ficarem rodeadas de amigos conversando, brincando, ralando o joelho e sorrindo. Elas estão cada vez mais distantes, ainda que ao lado uma da outra. Ah se elas soubessem, como para nós eram valiosas as brincadeiras de ruas, os piqueniques e o esconde-esconde. Está faltando contato humano, abraços e aperto de mão. Me pergunto se daqui alguns dias elas se lembrarão que tem que piscar. Coitados dos olhos.
Nas amizades está sobrando "saudades", "vamos nos encontrar", "feliz aniversário" e faltando "estou indo te visitar", "te vejo hoje às 20:00 horas", "vim te parabenizar com um abraço". Até quando as palavras serão mais vivas do que a presença? Em alguns casos, a verdadeira essência do companheirismo existe além das redes sociais? A internet é boa, mas afasta aqueles que são "vizinhos" e diminui a conversa na porta de casa, o "boa noite" deixa de ser com os olhos sorrindo. Está tudo tão cinza, tão eletrônico. Que lugar é esse em que vivemos? Será o mesmo da época dos meus avós?? Quantas dúvidas, infinitas saudades. Vamos aproveitar para olhar mais a lua, o céu e contar as estrelas, pela janela do teu quarto mesmo. Não precisa ser por fotos. Beijo no coração de vocês ♥

sábado, 15 de março de 2014

Reviva, viva!

Em uma canção ouvi que a saudade vem nos visitar e é verdade. Onde estão aquelas rodinhas de sorrisos? Apertos de mãos amigos e aquele companheirismo bonito? Em qual caverna o vento escondeu? Como criança brincando de pique-pega, ele está correndo e irei atrás para pegar de volta aquela época boa.
Desenho os rostos na minha mente, não quero que os traços se tornem borrões. Como canto que uma amizade durará eternamente, não vou me esquecer do tempo! Um dia estaremos todos juntos nos céus. Amizade valiosa e verdadeira, os corações estarão sempre em laços de afetos. Pois tudo que um dia trouxe alegria, jamais se apagará nos milênios da história. Deixemos que o brilho desse luar nos guie para os caminhos que já estão traçados desde a fundação do mundo. Nada nos separará, está gravado no tronco de uma árvore que o amor que veio de Deus durará eternamente. Está escrito nas linhas do cardiograma que esse amor é perfeito e nos acompanhará para a vida eterna!
A nostalgia não ficará só no coração, tudo tem o seu tempo e o tempo chegou. Alguns dizem que não existe a hora certa para os bons momentos acontecerem e amizades ressurgirem. Eu acredito no que está escrito: Há tempo para todo o propósito debaixo do céu.
As canções que marcaram aquela mocidade, continuam aqui. Quem é que pode dizer que uma árvore que dá bons frutos jamais os terá novamente após uma machadada?
É lícito que aquilo que tem bom sabor continue frutificando.
Ainda que mudam-se os habitantes, a moda da época já não seja mais a mesma e que muitos tenham seguido outros caminhos, quando se vê um sorriso já conhecido, a luz torna a brilhar.
Quem além de Deus pode definir o começo, fim e recomeço?
Tendo a guia e a ordem dele, ninguém mais pode mudar o destino.
Sobre o tempo, cada um discorre sobre o assunto de formas diversificadas. 
E eu afirmo: O meu tempo é agora!

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Frustração


Iniciei a facul, com isso já começaram as complexidades. Apesar de ter gostado muito dos professores e aulas, tenho muita dificuldade para ler os livros propostos. Basicamente, não entendo nada sem ler repetidas vezes.
No quarto dia de aula, já tenho três trabalhos para apresentar e provas marcadas. Isso se torna apavorante quando leio algo relacionado ao Direito.
É um curso infinitamente Lindo, que muito admiro, porém não é fácil. Mas ninguém disse que seria e mesmo que a vontade de desistir tenha chegado com tudo, eu preciso ser forte. Minha fé e esforço têm que ser maiores do que a minha deficiência nas matérias. Enfim, o sonho não está tão maravilhoso como antes. Mas irei tentar.

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Cada pessoa é um pequeno universo


Cada pessoa é um pequeno universo, é nisso que eu fico pensando quando eu estou no ponto de ônibus, viajando ou quando olho um desconhecido. A noite, quando vejo as luzes das casas, fico pensando como é a vida daquelas pessoas que moram lá, o que almoçaram, no que trabalham e no que elas tem para ensinar e aprender. E no final, sempre concluo que cada pessoa é um pequeno universo.

Ao longo dos cinco anos que eu fiz faculdade, eu tive que sair de casa e morar noutra cidade. Viajei bastante, e neste tempo conheci muita gente. Uma galerinha do sudeste descontraída e receptiva, um pessoal do nordeste cheios de energia e ao mesmo tempo leves. Também, conheci pessoas do meu estado, Mato Grosso, mas o que eu quero dizer que não importa de qual lugar essas pessoas são, mas sim do que elas me mostraram apenas sendo elas.

Infelizmente ou felizmente, não podemos aprender pelos outros, só podemos aprender por nós mesmos. E toda essa galera, cada pequeno universo que passou por mim serviram de modelos. Com uns eu aprendi a não me abalar por qualquer coisa, pois isso não vai adiantar nada. A gente tem que ver o que dá para fazer e pronto. Eu vi pessoas que não se abalaram com coisas que eu provavelmente teria tido um "surto", fazendo o que podiam fazer para resolver, mesmo as coisas não se resolvendo de imediato, ficavam tranquilas e pasmem! O mundo delas não caiu, assim como o meu não caiu, depois que aprendi isso.

E outras pessoas me mostraram que é possível ter segurança para eu me tornar quem realmente sou, pois as pessoas que gostam da gente de verdade, aceitam quem a gente é de verdade e não tem #Mimimi é assim e pronto. E eu observei que essas pessoas também se aceitavam. Também, aprendi que algumas verdades são necessárias, mas que excesso de sinceridade, pode constranger/magoar/irritar as pessoas. Pois é, caros amigos, aprendi que algumas “verdades” são desnecessárias.

Aprendi que quando a gente abraça uma causa de verdade e segue um plano, ele dá certo sim! Aprendi que somos feitos de sonhos e mudanças, mas também somos feitos de medo e pânico. Li em algum lugar que medo é saudável, pois ele tem função de proteção, dá pra gente conviver com ele, mas o pânico não, ele nos desespera e nos faz perder o controle da situação, faz a gente acreditar que não é capaz e ai a gente "surta".

Eu aprendi tanta coisa (que não cabe neste texto)com cada pessoa que eu deixei entrar na minha vida, apenas observando, escutando, "andando junto", "deixando estar" e com essas pessoas eu percebi que dá sim, dá para levar uma vida mais leve. E que não podemos negar que cada pessoa é única e nunca vai existir outra igual, que cada pessoa é um pequeno universo.

— Luana; blog: Eu Crio Moda

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

O Isac

De vez em quando olho para a lua e pergunto onde está o meu amor. Aquele que juntos vamos proteger os nossos corações e almas deste mundo tão pecaminoso. Mas ela não me traz a resposta e continuo na beira do mar contando estrelas sozinha.
Devo esperar com paciência pois o calendário de Deus é diferente do meu. E quanto mais o tempo passa mais sinto que está distante de mim. Quando os meus batimentos cardíacos batem descompassados eu penso que eles estão me avisando quem será o prometido. Porém o coração é bobo coitado, sempre se engana e se fere. 
Minhas palavras que antes soavam sempre românticas estão morrendo. A minha inspiração se esvaiu e não tenho mais o que escrever. A poesia está murchando como uma flor. No entanto, a fé não se acabou e sei que ele já está a caminho vindo ao meu encontro. 
Tento escrever palavras empolgadas e lindas, elas não brotam. E findo aqui este meu breve relato sobre a minha espera pelo inesperado. Chegue  breve e traga consigo a alegria almejada!

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Sobre decisões


Como todos já sabem minhas aulas na Facul vão começar em Fevereiro e as expectativas são muitas. Existem dúvidas, imagino como serão os meus colegas de classe, o corpo docente, os livros gigantescos e todo o resto. Preocupo com o meu aprendizado, sei que será como quando entrei no primário, nada sabia mas aprendi com o passar do tempo. No Direito começarei do zero e tenho um pouquinho de medo de não conseguir entender as matérias, a linguagem e leis. Mas estou confiante nas Palavras e promessas que Deus tem feito. Sei que nas dificuldades Ele me ajudará, ouvirá as minhas orações e meus clamores. Estou feliz por ter vários amigos lindos e prestativos no mesmo curso que eu em períodos diferentes. Não estarei sozinha, em todo o processo alcançarei vitórias.
Sobre minhas redes sociais, há algum tempo já exclui/desativei várias. Permaneço com o face e blogger. No caso da primeira apesar de ser uma ferramenta que permite os diálogos entre amigos, ocupa grande parte do meu tempo e isso não é bom. Tenho percebido que vários dos meus amigos só são na internet. É aquele papo antigo de falar "estou com saudades" e não levantar a bunda da cadeira para vir me visitar. Tenho observado muito sobre como cada um age enquanto navegam e pessoalmente. Existem diferenças inaceitáveis e assim meu círculo de amizades tem se tornado cada vez mais seletivo. Isso é bom porque é cumprimento de algumas Palavras. Sei que só permanecerão ao meu lado os que vão contribuir para o meu crescimento espiritual e que querem a minha felicidade, sem sombras de inveja.
Desativar o face é uma hipótese, por questão de privacidade, mais tempo livre para o lazer do mundo real e cumprimento das minhas responsabilidades. Isso influencia também na parte espiritual, o qual Deus se agradará ainda mais se eu diminuir as horas lendo postagens e mais comumente lendo a Bíblia. Porém ainda não sei o que farei. Vou esperar minhas aulas iniciarem e ver o que Deus me guia.
Quero me empenhar primeiramente e sempre, em servir ao Senhor, viver em paz com a minha família e também no meu curso. Pois desejo ser uma profissional capacitada e admirada. Pretendo estudar com muito amor e adquirir bastante conhecimento, conforme Deus quiser. 
O ano de 2014 começou cheio de alegrias e promessas, e este será o ano da vitória! Darei o melhor de mim para alcançar os meus lindos objetivos e deixar Deus feliz.
Ah, não posso me esquecer do Inglês. Essa língua incrível que estou aprendendo e também precisará da minha atenção para obter a aprovação em mais um semestre.
O ano será pequeno para tantas realizações e sorrisos. Minha alma e coração agradecem!!
Amados, Feliz 2014!!!